Relançamento com nova imagem da cerveja artesanal.”Alfaia”

Out 30

Quando uma cerveja artesanal como a Alfaia dá por si numa garrafeira de vinhos, tem tudo para acreditar que é um deles. E parece que ela tem algo a dizer sobre isso! Venha prová-la e conhecer-lhe as neuroses, na festa de lançamento da sua nova imagem, no dia 3 de Novembro, a partir das 20.30.image

ver mais

Hoje foi mais uma daquelas noites à antiga!!! Today it was one night like In the old times!!!

Out 12

image

image

ver mais

Jornalistas Russos na Garrafeira Alfaia!!!

Out 12

imageTivemos o prazer de receber em nossa casa dois jornalistas Russos da revista de Viagens Condé Naste e eles gentilmente cederam-nos algumas fotos, Obrigado pela Visita e voltem sempre!!!!

ver mais

Hoje o Polivox Portugal foi à Garrafeira Alfaia e trouxe-a para aqui… À Vossa! À Nossa!

Out 02

image
wwww.polivoxportugal.com

ver mais

Poema do Caboclo Aderne sobre a Garrafeira Alfaia!!!

Out 01

Caboclo Aderne
garrafeira alfaia , lisboa, 9 de novembro de 2011

nao me importo que deus me pague um carro velho
nem tão pouco ir de novo ao louvre ou ao coliseu
não me importo de não mais ve-la
e de não sentir aquele beijo que me deu
que chovam pedras ou que o mundo caia
só lhe peço uma coisa:
me deixe beber sossegado uma ampola no alfaia

não me importo de não mais ver ipanema
de não andar nos finais de tarde no calçadão
não me importo de perder o próximo almodovar no cinema
nem de ver a flor das cerejeiras no outono do japão
não mais ve-la dançar rodando a saia
só lhe peço uma coisa:
me deixe tomar uma ampola com o amigo pedro no alfaia

não me importo de não mais escutar joão gilberto domingo de manhã
ou de perder o por do sol na torre de brasília
não me importo de não mais andar pelas ruas da grande maça
de perder o jobi e não sonhar mais em leva-la pra derradeira ilha
de nunca mais ir ao arpoador e acalmar os olhos na minha primeira praia
só lhe peço uma coisa;
me deixe esvaziar uma pomada duriense no alfaia

não me importo que ela se engane e nunca mais me olhe nos olhos
que o vesúvio e o etna baillem juntos em erupção
que nunca mais vá a fernando de noronha e abrolhos
que os acordes durmam e desapareçam da minha mão
de entrar na torcida do benfica com a camisa do sporting e tomar uma vaia
só lhe peço uma coisa:
me deixe em paz fazendo par com um tinto no alfaia

ver mais